Tudo sobre o Coronavírus


O que é? 

Os Coronavírus são uma família de vírus que podem causar doença no ser humano. A infeção pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como doença mais grave, como pneumonia. A transmissão pode ser feita de pessoa para pessoa e o tempo de incubação do vírus pode durar até 14 dias. O novo Coronavírus, inicialmente denominado 2019-nCoV é actualmente designado de COVID-19.

 

Como se deu o início do surto?

Em 31 de dezembro de 2019, a OMS foi informada de casos de pneumonia na cidade de Wuhan, China. A identificação de doentes que frequentaram o mercado de Wuhan pressupõe que possa ter havido transmissão a partir do contato com animais. Em 7 de janeiro de 2020 um novo coronavi?rus foi identificado como a causa da doenc?a que foi denominada COVID-19. Os Pai?ses aumentaram a sua vigila?ncia para diagnosticar rapidamente possi?veis novos casos de COVID-19. Desde enta?o, foram identificadas mais pessoas infetadas por esse vi?rus na China, ale?m de casos importados para outros pai?ses, inclusive na regia?o europeia.

 

Quais são os sintomas?

Os sintomas de Coronavírus são muito semelhantes aos de uma gripe comum: febre, tosse, falta de ar e fadiga muscular.

As complicações como pneumonia e bronquite têm surgido sobretudo em doentes idosos ou com outras doenças crónicas que diminuem o seu sistema imunitário.

Considera-se que o tempo de incubação do vírus pode durar entre 2 a 14 dias.

 

Como Prevenir?

A prevenção passa por evitar a exposição a este vírus, uma vez que não existe vacina.

De momento não existem limitações de viagens. No entanto as recomendações de prevenção são as habituais para os viajantes, de acordo com a Direção Geral de Saúde.

 

Os viajantes que chegam das zonas afetadas ou que tenham tido contacto próximo com doente infetado, há menos de 14 dias, e que apresentem sinais e sintomas de infeção devem:

  • Ligar para o centro de contato SNS24 (808 24 24 24), antes de recorrer a serviços de saúde, e referir sempre o histórico de viagens, e/ou contato com animais e/ou pessoas doentes;
  • Restrição social;
  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória - tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos), colocar o lenço no lixo e lavar as mãos logo de seguida;
  • Utilizar máscara cirúrgica, se a sua condição clínica o permitir.

 

A DGS aconselha ainda a que os viajantes que regressem de áreas afetadas vigiem os seus contactos próximos, e que caso estes desenvolvam sintomas respiratórios deverão contactar a linha de Saúde SNS 24.

Onde quer que se viaje, devem ser sempre aplicadas as regras gerais que regem a higiene das mãos e dos alimentos.

 

Os viajantes que forem para uma área afetada devem:

  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país;
  • Evitar o contato próximo com doentes com infeções respiratórias agudas;
  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica, especialmente após contacto com uma pessoa infetada ou partilha do seu espaço;
  • Evitar o contato com animais;
  • Evitar o consumo de produtos de origem animal, crus ou mal cozinhados.

 

Coronavírus em Portugal

A 2 de março surge a confirmação de dois novos casos em Portugal, considerando-se doença importada. Até essa data, os casos considerados como suspeitos em Portugal não tinham sido confirmados. Actualmente o número de caos confirmados é de 59.

Segundo a DGS, atualmente o risco para a saúde pública em Portugal é considerado "moderado a elevado".

A possibilidade de mais países virem a ser afetados com casos de COVID-19 é já assumida.

A DGS tem acompanhado a situação, com orientações para os hospitais e plano de contingência.

 

A 11 de março, a Organização Mundial da Saúde declara pandemia devido ao surto do novo coronavírus.

"Estamos profundamente preocupados tantos pelos níveis alarmantes de propagação e gravidade, como pelos níveis alarmantes de inação. Por isso, consideramos que o Covid-19 pode caracterizar-se como uma pandemia", disse, na conferência de imprensa diária, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

 

Caso suspeite de algum caso, pode contactar o sistema de saúde, preferencialmente por contato não presencial, através da Linha SNS 24 (808 24 24 24) ou do número de emergência médica nacional (112) ou presencialmente num serviço de saúde.

 

Comunicado Grupo H Saúde

 

O GRUPOH SAÚDE pretende fazer cumprir a sua responsabilidade e compromisso social neste momento de dificuldade que o nosso país atravessa.

Manteremos todas as nossas Unidades abertas, por fim a estar 100% disponíveis para a nossa população.

Cumprimos e pretendemos fazer cumprir todas as normas internas adoptadas de contingência, sob a orientação da Direcção Geral de Saúde.

Apelamos a todos os utentes, que se dirigem às nossas Unidades, que se ajustem às regras de prevenção de contágio aplicadas, entre elas:

 

  • Manter a distância de segurança (1,5m);
  • Desinfectar as mãos regularmente;
  • Não trazer acompanhantes (exceto casos específicos);
  • Em caso de dúvidas, contacte-nos primeiro.

 

Salientamos que, à data em que escrevemos este comunicado, não existem casos suspeitos de contaminação na nossa equipa.

O GRUPOH SAÚDE faz uma avaliação diária do plano de contingência aplicado.

Qualquer alteração poderá ser aplicada de imediato.

 

O GRUPOH SAÚDE tem actualmente um conjunto de processos internos baseados na mais recente tecnologia, pelo que nos é possível adaptarmo-nos rapidamente a esta realidade, cumprindo assim o seu dever.



Fontes: DGS (Direção Geral de Saúde), ERS (Entidade Reguladora da Saúde) e SNS (Serviço Nacional de Saúde).