A Segurança Alimentar em Nossa Casa


O controlo inadequado da temperatura dos alimentos é uma das causas mais frequentes de doenças transmitidas pelos produtos alimentares ou da deterioração destes, pelo que é imprescindível que os alimentos sejam mantidos a temperaturas seguras.

O frigorífico e o congelador permitem uma conservação correta dos alimentos que se estragam rapidamente, seja em refrigeração - quando a temperatura é mantida inferior a 5º C - ou congelação, caracterizada pela temperatura inferior ou igual a -18º C, respetivamente. A rápida deterioração dos alimentos deve-se ao seu alto teor em água, o que cria condições favoráveis para o desenvolvimento dos microrganismos. 

Guardar no frigorífico os alimentos que se estragam facilmente (alimentos perecíveis), arrefecer rapidamente os alimentos cozinhados e congelar/descongelar corretamente, são boas práticas essenciais para conservação segura dos alimentos. 

A manutenção a temperaturas baixas é um método de conservação seguro, de forma a que o consumo do alimento não possa provocar riscos para a saúde e não ocorram alterações indesejáveis (características organoléticas e nutricionais).

Formas corretas de congelar/descongelar alimentos:

- O tempo de vida (prazo de validade) dos alimentos congelados é recomendado pelos produtores e vem indicado na embalagem.

- Mantenha os equipamentos sempre em bom funcionamento, descongelando e fazendo as manutenções quando necessário.

- Não encha muito o congelador para possibilitar a circulação de ar frio e evite deixar a porta aberta desnecessariamente.

- Deve congelar alimentos imediatamente após a compra, receção, preparação ou confeção para evitar a multiplicação de bactérias patogénicas.

- Nunca se deve voltar a congelar um alimento que já foi descongelado.

- Para congelar alimentos em casa, verifique se o seu congelador tem as características que permitem uma congelação adequada dos alimentos.

- O número de estrelas define o prazo máximo de conservação dos alimentos nos congeladores, de acordo com as temperaturas atingidas no interior dos mesmos. Tipos de congelador presentes no mercado:

   (*) Uma estrela- temperatura até –6ºC. Conserva congelados até 1 semana.

   (**) Duas estrelas - temperatura até –12ºC. Conserva congelados até 1 mês.

   (***) Três estrelas  - temperatura até –18ºC. Permite conservar alimentos previamente congelados até 1 ano.

   (****) Quatro estrelas  - temperatura entre –18º e –24ºC. Os únicos que permitem congelar alimentos.

- Certifique-se de que os alimentos que pretende congelar se encontram em boas condições.

- Separe os alimentos por tipo/natureza e em pequenas porções, embalando-os adequadamente de modo a evitar a transmissão de cheiros e a própria desidratação desses alimentos, em recipientes ou sacos próprios para o efeito.

- Retire o máximo de ar possível do interior das embalagens. Coloque uma etiqueta na embalagem dos alimentos que congela com a indicação do nome do alimento e data de congelação.

- Nunca introduza alimentos quentes diretamente no congelador. Deixe-os arrefecer antes de os guardar, mas não à temperatura ambiente. Se estiverem muito quentes, coloque-os, por exemplo, numa caixa de plástico e, de seguida, ponha-a dentro de um alguidar com água fria. Se não, coloque-os no frigorífico antes de os passar para o congelador. No caso de cozinhados líquidos, não encha o recipiente até ao cimo. Os alimentos dilatam com a congelação, podendo acabar por abrir a tampa.

- Os alimentos devem ser completamente descongelados antes da sua preparação ou confeção (a não ser que as instruções do fabricante indiquem que o alimento deve ser confecionado congelado).

- A descongelação deve ser feita no frigorífico ou no micro-ondas de modo a minimizar o risco de os microrganismos se multiplicarem e as toxinas se formarem nos alimentos durante a descongelação.

- Após descongelação, o produto deve ser guardado em refrigeração até ao momento da confeção.

- O líquido proveniente da descongelação, por exemplo de carne crua, deve ser escoado adequadamente porque pode representar um risco para a saúde se contactar com alimentos prontos a comer.

Devemos assim compreender que a segurança alimentar em nossa casa depende, em primeiro lugar, dos cuidados a ter quando fazemos a compra dos alimentos, seguido imediatamente pela maneira como os confecionamos e, por último, mas não menos importante, a forma como os conservamos até serem consumidos.

O esclarecimento acerca da forma adequada de preparar os alimentos que servimos em nossa casa, contribui  para uma alimentação de qualidade.

 

Por: 

Eng.ª Jéssica Louro

Eng.ª Liliana Ribeiro

Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho e Segurança Alimentar

Sexta, 27 de Setembro de 19