Teste Rápido COVID-19 IgG e IgM


Novo teste rápido qualitativo dos anticorpos IgG e IgM do novo coronavírus (2019-nCOV) no sangue total, soro ou plasma humano: 

Este teste rápido tem a duração de cerca de 10 minutos entre a sua realização e o resultado final e apresenta uma sensibilidade de 97,5%. O kit é constituído por: toalhete embebido em álcool, lanceta, pipeta, reagente e cassete e é de uso único.
Consiste na picada de lanceta da extremidade de um dedo (o mesmo procedimento que é utilizado para avaliar a glicémia capilar) e na recolha de sangue com uma pipeta. O sangue é colocado no local específico para a amostra, na cassete, e são colocadas 2 gotas de reagente no local da amostra, e deve aguardar-se cerca de 10 minutos para visualizar (ou não) a presença de anticorpos IgG e IgM na amostra. 
Para o teste ser válido deve aparecer sempre uma linha vermelha no C (controlo), caso tal não aconteça deve ser considerado inválido e será necessário repetir. 
Qualquer linha de cor ténue para os anticorpos deve ser considerado positivo - a intensidade da cor na linha IgG e IgM difere consoante a concentração de anticorpos na amostra.
 
As imunoglobulinas G e imunoglobulinas M, também conhecidas por IgG e IgM, são anticorpos que o organismo produz quando entra em contato com algum tipo de microrganismo invasor. O IgM é o primeiro anticorpo a ser produzido quando há uma infecção, sendo considerado um marcador de fase aguda da infecção. O IgG é produzido um pouco mais tardiamente, mas ainda na fase aguda da infecção, porém é produzido de acordo com o microrganismo invasor, sendo considerado mais específico, além de permanecer circulante no sangue, protegendo a pessoa contra possíveis infecções futuras pelo mesmo microrganismo. 
 
Podem existir os seguintes resultados:

  • IgM e IgG negativos: A pessoa nunca entrou em contacto com o vírus.
  • IgM positivo e IgG negativo: A pessoa está ou esteve há poucos dias (até cerca do 7º-10º dia após ao início da infeção)* com uma infecção aguda primária pelo novo coronavírus.
  • IgM e IgG positivos: A pessoa sofreu uma infecção recente de dias ou semanas - teste realizado até cerca do 35º dia* do início da infeção pelo novo coronavírus.
  • IgM negativo e IgG positivo: A pessoa entrou em contacto com o microrganismo num infecção antiga ou teve sucesso com a vacina (que neste caso específico ainda não se aplica).
  (* tendo em conta o gráfico apresentado pelo Laboratório Germano de Sousa)  
 
 
Estes testes são certificados pelo Parlamento Europeu e pela Directiva Europeia "98/79/CE Dispositivos Médicos de Diagnóstico In Vitro, código: K460216D
 
FONTE:
IgG e IgM: o que são, para que servem e qual a diferença. Acedido a 25 de abril de 2020 em www.tuasaude.com
Quarta, 29 de Abril de 20